segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Escola 'Gerson' formando gerações


Quando ele me adicionou no msn eu já sabia que não o conhecia pelo nome e sobrenome e quando começamos a conversar pensei: ‘Ufa! Pelo menos não é mais um taradinho da internet’, porque se você não sabe, eu devo dizer, sim, eu atraio taradinhos da internet, homens, mulheres, casais, todos querendo me transformar numa praticante de swing, lesbianismo, ménage, entre outras modalidades sexuais. Na vida real, também atraio tipos inóspitos, os comprometidos me farejam à distância. Não sou puritana ao ponto de dizer que nunca fiquei com alguém comprometido, já aconteceu, mas não é algo que eu procure preferencialmente, apenas acho que sou solteira e não devo me preocupar com as namoradas alheias, se rolar o clima, todo mundo é adulto, não? E olha, não vou dizer que sou de parar o trânsito, mas tenho lá o meu charme, se você quer saber.

Eu escrevo, mas nada demais, o blog é minha válvula de escape, meu vício, meu diário, mas ó, é um blog de família, não abordo nada nem perto do sexual. Então, quando ele me disse que me adicionou porque gostou do blog, do meu perfil e porque aprecia mulheres com unhas vermelhas – e eu sou adepta – não achei nada demais. A conversa entre nós fluiu facilmente, logo encontramos várias coisas em comum e muito rapidamente nasceu a vontade de nos conhecermos pessoalmente. Passávamos horas e horas conversando no msn, nos adicionamos no orkut, nos falamos por telefone. E fora um ou outra confissão pessoal, nossas conversas sempre foram num nível bacana, eu o achava até tímido, no princípio. É claro que eu estava encantada por ele, não apaixonada, óbvio, mas muito interessada naquela pessoa tão bacana que morava tão longe, mas que eu queria ter mais perto.

Daí ele me confessou que gostava de pés femininos com unhas pintadas de vermelho e que tinha fetiche em ele mesmo pintar as unhas de sua parceira. Eu achei até bonitinho. Ele me pediu para fazer isso comigo quando me conhecesse e eu nem vi nada demais. Mas fui perdendo um pouco da graça de conversar com ele porque, aos poucos, ele só queria saber dos meus pés e de quando iria pintá-los de vermelho. Foi ficando chato, eu tentava não dar bola, cortar o assunto. E quando ele parava com essas conversas bobas, voltava a ser a pessoa que me encantava e me fazia ter vontade de conhecê-lo melhor, pessoalmente. Bonito, engenheiro químico, 26 anos.

Algum tempo sem conversarmos direito, me pego saindo do trabalho quando ele entra no msn já puxando papo, querendo saber com que cor estavam pintadas as minhas unhas. Estranho, no mínimo. Mas era só a deixa que ele queria para me dizer que ele tinha pintado as unhas dele de vermelho. É claro que fiquei chocada, mas eu nem imaginava o que ainda estava por vir. Foi só o início da série de revelações que ele me faria naquele dia. Gostava de ser escravizado, chicoteado, humilhado, que lhe passassem vinagre no corpo. Gostava de lamber os corpos femininos molhados de vinagre. Não entendi o porquê. Vinagre? Não entendi mesmo. Mas o pior ainda estava por vir, ele me confessou, então, que era adepto de um fetiche estranho e que tinha vergonha de contar. Eu, curiosa ao extremo, disse que ele podia contar, que eu não iria julgá-lo. Sei lá, eu estava preparada até pra ele dizer que gostava de ‘fio-terra’, brinquedinhos, essas coisas, a julgar pelas unhas vermelhas que ele gostava de usar nele mesmo. Mas não, ele me fala uma palavra estrangeira que eu não sei o que é, mas que quer dizer tudo. Então, ele me explica e eu fico petrificada em frente ao computador. Ele sente prazer em comer as fezes da parceira. Sim, isso mesmo. Ele come cocô. Gosta de se lambuzar com o cocô, comê-lo e tudo mais. Nojento, eu sei. Eu só conseguia pensar ‘como dá na cabeça de uma pessoa que ela gosta de cocô?’.

Perguntei logo das suas namoradas, se elas participavam daquilo, ele me disse que isso não era algo que ele contasse a qualquer pessoa, que não partilhava disso com elas. Eu tinha que fazer uma prova na faculdade, saí correndo do msn, mas não conseguia nem me concentrar direito, só pensava nisso. O mundo é cheio de putaria, a gente é que não sabe. Quantas pessoas julgamos ‘normais’ tem essas estranhas preferências? Ninguém conhece ninguém mesmo. As pessoas que ele convive não sabem que há algo errado com ele. Sim, porque não consigo pensar que está tudo bem com uma pessoa que se excita ao comer fezes, deve ser algum problema psicológico grave. Sem contar que deve fazer mal à saúde também. Na saída da prova, liguei pra uma amiga, desabafei. Ela ficou chocada, já sabia sobre o rapaz do msn. Toda vez que eu lembrava do assunto meu estômago revirava.

Ele conversou comigo outras vezes, perguntei detalhes de como ele tinha descoberto essa vontade, curiosa que estava de sua iniciação naquele fetiche, ele disse que se excitou ao ver um vídeo, que pintava as unhas desde moleque, que sempre se excitou bebendo vinagre. Contou histórias de realização das suas fantasias e até mesmo queria me convencer a partilhar dos seus fetiches. Sem ofendê-lo, declinei do convite. E ele, então, quis desdizer tudo o que já havia dito, quis negar o que, àquela hora já era inegável. Não colou, então, acho que ele resolveu não se importar mais com minha opinião. As conversas começaram a girar em torno de assuntos polêmicos, eu tentava cortar, ignorar, mas não sabia o que fazer, ele tinha todos os meus contatos. O garoto encantado virou um sapo que eu tinha que me livrar.


Depois de várias conversas tensas, ele começou a me ofender e a ser muito preconceituoso com meu estado e origens. Eu fingia superioridade, só pra mater as aparências. No fundo eu só queria que ele esquecesse minha existência, mas comecei a ser grossa com ele também, fui enxendo o saco. Quanto menos eu respondia aos seus recados, mais ele ficava obcecado por mim. Até que ele resolveu ser muito cretino e fez observações xenofóbicas em fotos da minha tatuagem no orkut. Da primeira vez, apenas ignorei, apaguei o comentário. Mas ele insistiu, o idiota, e eu chutei o pau da barraca: escrevi um recado na página dele que ele e os amigos que tiveram a sorte de ler, jamais irão esquecer. No fim, mandei-o tomar no cu, por que, olha, tava entalado na minha garganta. Bloqueei e excluí de todas as formas possíveis e não me arrependo. Ele ainda tentou me ligar, mas de forma alguma irei ter contato com ele novamente. De vez em quando, ele me adiciona com nomes falsos, mas quando descubro que é ele - que só quer me xingar mais e mais - torno a bloquear e excluir tudo de novo.

 *Adaptado.

12 comentários:

Livia disse...

Gente que loucura! Beijos...

Anônimo disse...

C A R A L H O. Juro que não to acreditando. Sem palavras...

Bel disse...

Ju, é sério mesmo, isso?
Que loucura!!!
Mas é um "aviso" pra vc ter muito mais cuidado em quem adiciona pelos diversos canais da rede. Eu nunca tive experiências assim, creio que é porque no orkut até aceito, mas msn... só pra conhecidos, exclusivamente. E tem tempo que não entro lá. Precisa ter muito cuidado mesmo, essas perseguições virtuais podem ser perigosas ao vivo.

Beijo!

Naiara disse...

Meu Deus! Que horror essa história toda! O.O'

.Intense. disse...

ahuauhauhahauh...eu vim quebrar o ciclo de comentários dramáticos daqui de cima - pq só eu mesma pra entender o tanto que foi engraçado, vc no telefone, estática 'Intense... o menino come côco, Intense' - e eu rolando de rir do outro lado perguntando COMO ASSIM, BIAL?...sério, foi engraçado.


Eu só não sabia desse final, do surto xenofóbico dele, sabe...acho que depois vieram tantas coisas, que acabei esquecendo. Muita loucura, né não? Será que ele ainda lê seu blog? E, a pergunta que não quer calar: esse pézinho aí é teu?

;)
=*

Jullyane disse...

Hahahahahahaha! Só a Dani mesmo pra me fazer rir numa hora dessas, claro que vários meses depois, porque na época foi terrível! Eu tava P A S S A D A!

Acho que ele não lê mais o blog (se lê, vamos ter comentários putos em breve) e NÃO esse pé não é meu, peguei no blog do CF, foi a Zíngara que achou e eu só publiquei a mesma foto. Não sei de quem é, enfim.

Beijo, beijo

Constância disse...

Amiga,eu te entendo,qdo e tinha mais tempo pra net (saudades desse tempo)isso vivia acontecendo.Mas hj em dia não mais.
Vc já leu "A casa dos Budas ditosos"?Leia,acho que cabe muito bem a vida de todo mundo e principalmente a esse momento.
bjks

Blog Piauí disse...

Olá, tudo bem? Estamos vindo até você para convida-lo à fazer parte do BlogPiauí. O BlogPiauí é um espaço para reunião de todos os Blogueiros Piauienses. Aqui poderemos trocar idéias, nos divulgarmos, dar dicas uns aos outros, aprender coisas novas e muito mais. Será um prazer tê-lo na nossa lista de Blogueiros. Visite-nos e deixe seus dados para adicionarmos você:
- Nome;
- Endereço de Blog;
- E-mail;
- E a título de pesquisa, nos informe de qual cidade/estado você está nos acessando agora.

Esperamos você.

:: blogpiaui5.blogspot.com

Taís disse...

Uau!!! Menina, tô bege! Sério mesmo que tem alguém que se excita com isso??? Ecaaaa fiquei até enjoada...
O que me faz pensar que pela internet estamos um pouquinho mais vulneráveis a encontros assim. Dá até um medinho rs
Mas olha, me coloquei no teu lugar e pensei se alguém me dissesse que come cocô... rachei de rir... Tanta coisa boa pra fazer, pra comer e o mané se contenta com merda... fazer o que né?
bjoss

Anônimo disse...

KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK....

JU... CONFESSO QUE JA PASSEI POR POUCAS E BOAS COM TARADINHOS VIRTUAIS, CASAIS PEVERTIDOS, MAS... NENHUM CHEGARAM A ME AFIRMAR QUE GOSTAVAM DE DEGUSTAR COCO! KKKKKKKKKKKKKKKKKKK....

A MELHOR PARTE FOI: JA ESTAVA ENTALADA E MANDEI ELE IR TOMAR NO CU!


KKKKKKKKKKKKKKKKK...

TE AMO! BJ DUPLO.

Sarita disse...

Ju, não sabia que as coisas tinha evoluído dessa maneira. Tem um update aí desde a publicação no CF, né? Enfim, psicótico mesmo, a ponto de continuar indo atrás.

Anônimo disse...

Conheço o tipo. Literalmente.